Tag Archives: Danielle Jensen

::A MARIA BONITA É FLICTS::

9 Set

Uma das marcas mais expressivas e queridas da moda brasileira é a Maria Bonita. Para o verão 2011 a estilista Danielle Jensen se inspirou na arquitetura e nos tons das casas do norte e nordeste.  Tanta arquitetura foi contada no livro de Anna Mariani “Fachadas e Platibandas”.  A Maria Bonita imprime à moda brasileira mais uma vez sua marca autoral e, há algumas coleções, uma marca que também é regional.

As  formas são assimétricas, sobretudo em se tratando de roupa, nada ali é muito usual aos olhos.  Se há uma calça, vem um bustiê; os vestidos são arrematados por placas que lembram telhados triangulares e até as bolsas são pesadas , de madeira e com cara de feira.  E, como se brotado do chão os tons terrosos mandam no desfile.  A Maria Bonita do verão 2011 é toda Flicts.

É Flitcs nos tons terrosos do começo que evoluem para cores pastel.  Os tops que tem chapéu acoplado são Flicts.  Na Maria Bonita o azul, o amarelo e rosa são totalmente Flicts. 

Flicts é  aquela cor que é tudo e é nada. A lua é Flicts, o sol é flicts, o burro quando foge é flicts. 

Flicts é uma história meio fábula contada por Ziraldo em mais um estrondoso sucesso literário para crianças. Ele nos lembra que todas as cores tem um lugar no mundo e Flicts também tem.  É uma história sobre cores mas também uma história sobre exclusão.  Asssim como a história da Maria Bonita que  nos faz olhar pra cima do nosso mapa, para além das formas conhecidas e linhas quadradas e reverenciar a originalidade de quem constrói casas com as mãos e faz arquitetura própria e que pinta com as cores sujas de terra, mistura cal no vermelho, no azul , no verde e faz a cor ‘candy’ diretamente no sertão. 

Incontáveis gerações escolares já se encantaram com o texto de Ziraldo que é cheio desse desejo de fazer parte, de achar algo no mundo que seja Flicts, que tenha a cor parecida com a sua. Não custa lembrar que desde sua primeira publicação em 1969 “Flicts” marcou uma mudança na literatura infantil brasileira abolindo as ilustrações figurativas e óbvias pra criança.Além de encantador é  inegável também a vocação do livro para falar da dificuldade de se encaixar, pra atingir o íntimo de crianças e adultos com uma metáfora tão poderosa quanto cores. 

Incluídas na beleza do desenho arquitetural e colorido brasileiro as fachadas e platibandas do sertão se derramam em vestidos, camisões e calças pescadores tudo cor Flicts, cor de coisa que se acha, que se descobre de repente.  E que passa a existir no mundo

Brasileira e  colorida a Maria Bonita é toda Flicts.

Anúncios
%d bloggers like this: